O significado de fornicação na Bíblia se refere às relações sexuais ilícitas. Pode-se dizer que num sentido amplo, fornicação é todo tipo de imoralidade sexual em geral. A Bíblia condena a fornicação de forma muito clara. Do Antigo ao Novo Testamento, a fornicação é colocada como um grave pecado.

O significado de fornicação na Bíblia

O significado de fornicação na Bíblia pode ser bastante abrangente. Isto porque a palavra fornicação frequentemente traduz o grego porneia. Esse termo grego engloba toda sorte de imoralidade sexual em seu significado.

Porneia pode indicar: adultério, fornicação, prostituição, relações homossexuais, pornografia, desejos ilícitos, relacionamentos dentro de um grau de parentesco não permitido (incesto), impurezas em geral etc. Normalmente o contexto irá indicar qual o sentido mais apropriado em determinada passagem bíblica.

Em alguns textos bíblicos a palavra fornicação, porneia, é empregada como sendo equivalente a adultério, moicheia. Por isto em Mateus 5:32; 19:9 a infidelidade da esposa que obviamente é um adultério (moicheia) é chamada de fornicação (porneia). Dessa forma, a fornicação é usada como referência à imoralidade em geral.

Mas também em outros textos a palavra fornicação deve ter seu sentido distinguido do adultério ou de qualquer outra imoralidade pós-matrimonial (cf. Mateus 15:19; Marcos 7:21; João 8:3). Esses textos empregam os dois termos gregos, porneia e moicheia, traduzidos respectivamente como fornicação e adultério.

Isso indica que em tais textos moicheia se limita ao relacionamento sexual envolvendo uma pessoa casada, enquanto que porneia indica todo relacionamento sexual ilícito fora dos laços conjugais. Portanto, é possível dizer que moicheia é sempre porneia, mas nem sempre porneia é moicheia. Em outras palavras, adultério é sempre fornicação, mas nem toda fornicação é adultério.

Daí é completamente aceitável utilizar a fornicação para se referir especificamente a qualquer relação sexual antes do casamento. Então é correto distinguir, de acordo com o contexto, adultério e fornicação.

A origem da fornicação

O próprio Jesus esclareceu acerca da origem da fornicação. Ele diz: “Porque do interior do coração dos homens saem os maus pensamentos, os adultérios, as fornicações, os furtos, a avareza, as maldades, o engano, a dissolução, a inveja, a blasfêmia, a soberba, a loucura. Todos estes males procedem de dentro e contaminam o homem” (Marcos 7:21-23).

Essa exortação do Senhor Jesus revela de forma muito clara a natureza pecaminosa da fornicação. Na verdade a fornicação é o tipo de pecado que pega algo bom e puro criado por Deus, o sexo, e o perverte de um modo que ele se torna uma transgressão contra a lei moral do Senhor. O pecado da fornicação transforma bênção em maldição.

Por isto a fornicação jamais deve ser uma prática aceitável ao verdadeiro cristão. Na verdade tudo o que envolve a fornicação é colocado na lista das terríveis obras da carne.

 

Fornicação tem perdão?

Sim, a boa notícia é que Deus perdoa a fornicação! Mas aqui algumas pessoas se perguntam: Como vencer a fornicação?

Sabemos que todos nós ainda possuímos uma velha natureza que deseja aquilo que desagrada a Deus. É por isto que independentemente de quem seja, cada um de nós comete algum tipo de pecado. O apóstolo João escreve que “se afirmarmos que estamos sem pecado, enganamos a nós mesmos, e a verdade não está em nós” (1 João 1:8).

Mas isto jamais significa que devemos permanecer na prática do pecado, seja o pecado da fornicação ou qualquer outro. Por isto o mesmo João escreve que “qualquer um que é nascido de Deus não comete pecado; porque a sua semente permanece nele; e não pode pecar, porque é nascido de Deus” (1 João 3:9; cf. 1 João 2:4). Em outras palavras, João está dizendo que o pecado é um acidente de percurso na vida do cristão genuíno, e não aquilo que o caracteriza.

Portanto, o fornicador deve se arrepender de seu pecado, pedir perdão a Deus e abandonar a sua prática errada. Mais uma vez João escreve que “se confessarmos os nossos pecados, Ele é fiel e justo para perdoar os nossos pecados e nos purificar de toda injustiça” (1 João 1:9).

Sozinhos jamais poderíamos vencer o pecado, mas por causa da obra redentora de Jesus Cristo e da presença do Espírito Santo habitando em nossas vidas, somos habilitados a viver uma vida vitoriosa sobre as práticas pecaminosas. Obviamente isto inclui a fornicação!

Como a fornicação é uma prática sexual ilícita fora da realidade do casamento, o apóstolo Paulo indica um conselho eficaz para vencê-la. Ele escreve: “Mas, por causa da fornicação, cada um tenha a sua própria mulher, e cada uma tenha o seu próprio marido” (1 Coríntios 7:2). Além disso, o apóstolo também reprova a imoralidade sexual e nos faz lembrar de que somos o templo do Espírito Santo, e que o Senhor exige o uso correto de nossos corpos (1 Coríntios 6:19).

A fornicação no sentido figurado

A fornicação também é utilizada na Bíblia de forma figurada para se referir à idolatria. Quando os israelitas demonstravam infidelidade a Deus adorando falsos deuses, o Senhor via essa prática como uma imoralidade e prostituição espiritual (Jeremias 2:20-37; Ezequiel 16). O ministério do profeta Oseias, por exemplo, serviu para denunciar explicitamente a fornicação/adultério do povo de Israel (Oseias 1-3).

Essa associação entre fornicação e idolatria é muito adequada porque os rituais e os cultos pagãos da antiguidade normalmente envolviam todo tipo de imoralidade sexual. Os adoradores fornicavam com as sacerdotisas e prostitutas sagradas que serviam nos templos.

No Novo Testamento essa mesma associação também é preservada. O livro do Apocalipse é um que relaciona a fornicação e o adultério à prática daqueles que aderem à falsa religião e fazem parte da igreja apóstata (Apocalipse 17:1-2).